jusbrasil.com.br
22 de Junho de 2018

‘Precisamos de uma geração de engenheiros legais’, diz Richard Susskind

Para professor, Direito passa por um momento de disrupção: sobreviverão os que dominarem a tecnologia

Jota Info, Jornalista
Publicado por Jota Info
há 17 dias

Há 30 anos, o britânico Richard Susskind, professor da Universidade de Oxford e presidente da Sociedade para Computadores e Direito, estuda o impacto da inovação e da tecnologia no Direito pelo mundo. Sua tese é simples: clientes querem resultados, sejam eles entregues por advogados ou não.

Susskind esteve no Brasil para a 2ª Conferência Internacional de Governança da Informação para o Mercado Jurídico. Em um auditório lotado de advogados, ele ponderou que em alguns casos, é claro, somente advogados ou pessoas formadas em Direito podem fazer alguns serviços. Muitas vezes, porém, os processos podem ser mais eficientes, escaláveis e baratos, como em ações de massa, se racionalizados.

Segundo Susskind, duas versões do futuro se apresentam hoje. Na primeira, o futuro seria apenas uma versão melhor do mundo que vivemos hoje. Na segunda, a tecnologia avança de maneira veloz e causa a disrupção de variados setores econômicos e comportamentos sociais. Para ele, a premissa mais provável é a última.

Neste contexto, Susskind explica que o mercado jurídico sofre três grandes pressões que podem mudar suas feições: redução de custos, surgimento de novos fornecedores de grande escala e o avanço de novas tecnologias, especialmente as que lidam com grande processamento de dados.

“Precisamos de uma geração de advogados capazes de desenhar, desenvolver, entregar e manter os sistemas que substituirão as velhas formas de trabalhar. Precisamos de uma geração de engenheiros legais”, diz Susskind.

Leia a entrevista exclusiva concedida por Richard Susskind ao JOTA, em São Paulo.

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Interessante a expressão "engenheiros legais" só lendo a matéria é que entendi o sentido 'legal'. Legal! continuar lendo

Tema importante e talvez não considerado muito relevante para alguns. Simples alerta às mudanças indubitáveis. Parabéns, título muito criativo! continuar lendo